Após perder a Delegada Anamelka, PL luta para não encolher no Piauí

Para manter a bancada atual de três deputados o partido teria que ampliar em cerca de 57% a votação obtida em 2018

26 de janeiro de 2021, às 16:00 | Tarcio Cruz

Após o fracasso na eleição municipal de Teresina, quando conseguiu apenas uma cadeira no parlamento, o PL começa a ver comprometida a estratégia para 2022. A primeira a deixar a legenda é a delegada AnaMelka, que anunciou na última segunda a filiação ao Solidariedade de Evaldo Gomes. Para manter a bancada atual de três deputados o partido teria que ampliar em cerca de 57% a votação obtida em 2018, fato que preocupa os deputados Dr. Hélio, Coronel Carlos Augusto e Fábio Xavier.

Após a saída de AnaMelka o presidente do diretório municipal do partido, Coronel Carlos Augusto, avaliou o cenário e demonstrou otimismo com o crescimento em 2022.

“Nós temos uma expectativa de fortalecer o PL neste ano de 2021 com vistas na eleição de 2022. O partido segue unido com o deputado Fábio Abreu, com o deputado Dr. Hélio e o presidente Fábio Xavier. Nosso trabalho é fortalecer para que possamos ter uma chapa competitiva para eleger dois federal e quatro ou cinco deputados estaduais” avaliou.

Vale analisar que para cumprir o objetivo estabelecido pelo dirigente partidário a sigla teria que quase dobrar a sua votação, tarefa difícil para 2022.


Coluna Passando a Régua

REDES SOCIAIS