Com medo de perder vagas no Piauí, MDB faz reunião de emergência

A conta está incomodando os parlamentares emedebistas que cobram um início imediato de articulação para 2022

17 de fevereiro de 2021, às 12:00 | Tarcio Cruz

Fontes ligadas ao MDB no Piauí confirmaram que na próxima sexta (19/02) a executiva estadual do partido fará uma reunião emergencial para discutir a eleição de 2022.

Preocupados com as mudanças na legislação eleitoral e o fim da coligação proporcional, alteração que comprometeu a estratégia histórica de coligação da sigla, os deputados do MDB temem perder vagas na Assembleia Legislativa. Uma força-tarefa para construção de uma chapa proporcional deve ser montada pelo partido.

Analisando as eleições de 2018, quando o MDB obteve 285.524 votos no Estado, o partido conseguiria eleger apenas quatro deputados, e brigaria pela quinta vaga na sobra de votos. Fatalmente o deputado João Mádison, eleito com menos votos, estaria fora da Assembleia, e Pablo Santos, o segundo menos votado mas eleito, correria risco de perder a cadeira.

A conta está incomodando os emedebistas que cobram um início imediato de articulação para 2022. 

Uma agressiva estratégia de filiações deve ser iniciada pela sigla que corre para não encolher no parlamento que sempre “foi seu”. 

Há 22 anos, desde 1999 com Kléber Eulálio, o MDB comanda a Assembleia Legislativa do Piauí.

Senador Marcelo Castro, presidente do MDB no Piauí