Você conhece o distúrbio que atrapalha a fala de crianças?

A terapeuta ocupacional Klycia Machado explica sobre esse desafio e os principais que a família precisa se atentar

14 de maio de 2021, às 16:00 | Editoria de Geral

Nesta sexta-feira (14/05), é o Dia de Conscientização da Apraxia de Fala na Infância, a data vem para explicar sobre esse grave distúrbio motor na fala que afeta a habilidade da criança em produzir e sequenciar os sons da fala. A terapeuta ocupacional Klycia Machado explica sobre esse desafio e os principais que a família precisa se atentar.

Ao contrário do que muito se pensa, a Apraxia de Fala na Infância é um distúrbio motor, pois a fala faz parte das habilidades de coordenação motora fina. Entre os sinais, um baixo repertório de vogais, além de consoantes, incluindo as consideradas mais visíveis, como P e M; Em algum momento, a criança pode demonstrar “procura” ou “esforço” para realizar as posições articulatórias; A criança demonstra que fica “perdida”, não sabe como movimentar a boca. Ela tenta falar mas não consegue.

“A Associação Americana de Fonoaudiologia recomenda o termo Apraxia de Fala na Infância para Distúrbio neurológico motor da fala na infância, resultante de um déficit na consistência e precisão dos movimentos necessários à fala, na ausência de déficits neuromusculares, por exemplo em reflexos normais ou tônus muscular alterado”, explica Klycia Machado.

Ainda de acordo com a terapeuta ocupacional, a criança com A.F.I. parece não entender o que fazer com sua boca. 

“Na maioria das vezes são crianças que compreendem muito bem a linguagem, mas articular a fala é um grande desafio para elas. Elas não conseguem planejar os movimentos para que a fala aconteça na ordem”, completa.

Klycia pontua que uma criança com 18 meses deve ter um repertório de fala com mais de 35 palavras, tentará ou já pode dizer o nome, já deve dizer "sim" e "não" nas situações adequadas, emitir frases interrogativas curtas, como: "Que isso?” e iniciar a descrição de ilustrações simples.

“O ato de falar é fantástico. Envolve nosso cérebro, nossa boca, língua, mandíbula, os músculos que estão ao redor dessas partes e os caminhos do cérebro (motores e sensoriais) até esses músculos. Então, se a sua criança tem uma fala muito limitada, com pouco repertório de palavras e/ou apresentam fala de difícil compreensão, fique atento, observe. Dentro do desenvolvimento neuropsicomotor do seu filho pode haver um atraso de fala. Procurar o profissional adequado é o melhor caminho, pois este irá orientar e encaminhar a um serviço de estimulação precoce”, conclui Klycia Machado.

Klycia Machado / FOTO: Terapeuta Ocupacional