Indústria piauiense segue em recuperação apesar da pandemia

As intenções de investimento para os próximos 6 meses saltaram de 33,3% em junho para 52,4% em julho

31 de agosto de 2021, às 17:00 | Editoria Mais Notícias

A Federação das Indústrias do Estado do Piauí (FIEPI) divulgou o resultado da Sondagem Construção Civil feita em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI). A pesquisa foi aplicada no mês de agosto com dados referentes ao mês julho de 2021.

O mês de julho de 2021 apresentou números mais otimistas no nível de atividade para o setor em comparação como o mês anterior, embora o aumento no número de empregados comparado ao mês anterior tenha tido uma significativa redução percentual.

O nível de atividade igual ao usual destacou-se por ter sido o maior percentual medido desde o início do ano, com 52,4% igual ao usual, muito próximo ao mês anterior (junho/21), com 50%. Estes índices para a região Nordeste foram mais tímidos, passando de 41,8% em junho de 2021 para 42,5% em julho.

Analisando-se o indicador “número de empregados comparado ao mês anterior”, apesar da redução do percentual no critério "aumento de empregados" de 33,3% em junho de 2021 para 14,3% em julho, a estabilidade nos empregos aumentou de 58,3% em junho para 71,4% em julho, o que já era esperado, pois retrata uma consolidação dos novos empregos gerados em junho, conforme demonstrado na pesquisa no período. Já a redução do número de empregados ficou em 14,3% este mês, índice acima do mês anterior, que foi de 8,3%. Tradicionalmente, o Estado tem mantido melhores percentuais se comparado ao Nordeste. Na região Nordeste, o aumento de empregos que era 16,3% em junho de 2021 passou para 18,5% em julho. A estabilidade, de 59,5% em junho passou para 61,6% em julho e a redução no número de empregados de 20,9% em junho foi para 17,1% em julho de 2021.

PERPECTIVAS PARA OS PRÓXIMOS 6 MESES

A expectativa de aumento no nível de atividade para os próximos 6 meses medido no Piauí pelo segundo mês consecutivo reduziu. A sondagem de junho de 2021 registrou o percentual de 45,8%, reduzindo em julho para 42,9%. Mesmo em queda, os índices apresentados pelo Estado ainda foram superiores aos da região Nordeste, que apresentou percentual de 36,6%, em junho de 2021 aumentando para 41,1% no mês de julho.

A perspectiva de aumento na compra de insumos e matérias-primas para os próximos 6 meses passou de 45,8% em junho para 52,4% em julho. Os percentuais também aumentaram no Nordeste passando de 32,7% em junho para 38,4% em julho.

Já a expectativa de aumento de novos empreendimentos e serviços para os próximos 6 meses, que é um bom critério para avaliar a intenção da construção civil, reduziu de 58,3% em junho para 42,9% em julho de 2021. No Nordeste, os percentuais apresentaram leve aumento, passando de 37,9% para 39% no mês de julho.

A perspectiva de aumento no número de empregados para os próximos 6 meses no Estado, que era de 50% em junho, reduziu para 42,9% em julho de 2021. No Nordeste, os índices foram inferiores, embora tenha apresentado um leve aumento do percentual, em junho era 29,4% passando para 31,5% em julho.

As intenções de investimento para os próximos 6 meses, em que a indústria da construção civil provavelmente tem intenção de investir, saltaram de 33,3% em junho para 52,4% em julho. Essa tendência de alta também foi percebida na região Nordeste com percentual de 40,4% em julho de 2021. Os números apontam que a intenção de investimento da indústria local é mais acentuada que a intenção do Nordeste.


PASSANDO A RÉGUA

Coluna Passando a Régua

REDES SOCIAIS