MENU mobile

Walter Rei das Motos: "Chupa esse bagaço sozinho. Estou fora"

O empresário abriu o coração e deu detalhes dos motivos que o fizeram deixar o PSL atirando contra as maiores lideranças do partido no Estado

Reportagem de Douglas Cordeiro e Wesslley Sales

Em se tratando de política a traição não é nenhuma novidade. 

Algumas não se esquece, como é o caso do Walter Rei das Motos, que buscava viabilizar seu nome como pré-candidato a Prefeito de Teresina pelo PSL. 

No entanto, o empresário abriu o coração e deu detalhes dos motivos que o fizeram deixar o partido atirando contra as maiores lideranças do partido no Estado.

Tem pesquisas que as pessoas forjam e se quisesse poderia colocar que estaria com 8%, mas não compactuo com isso.

PORTAL DOUGLAS CORDEIRO - Como candidato o Senhor precisaria ter dois dígitos para viabilizar sua candidatura a Prefeito de Teresina. Procede que foi esse o motivo da sua saída do PSL, não atingir a exigência da Nacional?

WALTER REI DAS MOTOS - Em nenhum momento a direção nacional do PSL colocou esse percentual. Isso foi criado pelo Presidente Estadual que disse que eu teria que ter esses dois dígitos para me viabilizar politicamente. Em política não se começa com dois dígitos. Se consegue com o tempo e não sozinho. Precisa da ajuda dos pré-candidatos a vereador para fortalecer a chapa e o nome da majoritária. Aí sim, iríamos mostrar nosso talento e a qualidade do candidato e começar a viabilizar. 

Tem pesquisas que as pessoas forjam e se quisesse poderia colocar que estaria com 8%, mas não compactuo com isso. Tentei trabalhar, mas quando percebi a tendência dos candidatos da base do Firmino, porque Luiz André nunca saiu da base do Prefeito, Ricardo Bandeira tem uma secretaria e a Teresinha Medeiros nem se fala. Então, como esse pessoal quer trabalhar uma candidatura majoritária no partido? Acho uma falta de respeito. Por outro lado, as outras pessoas não tinham condições de se viabilizar também. 

Chamei o pessoal e disse: infelizmente não dá para confiar nesse partido. Até porque estavam trazendo outros candidatos como Nilson Cavalcante, Daniel do Asfalto e outros mais. É uma turma de candidatos com mais de cinco, seis mil votos e todos eles da base do PSDB. Como iriam trabalhar meu nome? Aí ficam jogando para o povo mentiras e falsidade de que tem que arranjar dois dígitos. Como?

PORTAL DOUGLAS CORDEIRO - Mas, como foi a conversa com o Presidente do PSL, Vereador Luiz André?

WALTER REI DAS MOTOS - Hoje temos uma turma lá de baixo, uns 20 pré-candidatos no PSL, que todos tem um sonho de um dia se tornar vereador e viabilizar politicamente e isso não estava acontecendo. Quando vi que eu estava servindo de laranja para o partido eu disse, negativo e sai imediatamente. Falei para o Presidente: chupe esse bagaço sozinho que eu estou pulando fora.

PORTAL DOUGLAS CORDEIRO - Então foi isso, o senhor estava sendo usado como laranja?

WALTER REI DAS MOTOS - Provavelmente. Estavam jogando meu nome para a plateia de forma mentirosa. Isso não se faz. Sempre trabalhei com honestidade, transparência e com dignidade. Sempre fui espontâneo e as pessoas sabem da minha conduta ética e moral. Jamais vou querer me juntar com esse tipo de pessoa que estavam agindo dessa forma. Faziam reunião na casa dele com o Prefeito. Poxa, se eles tivessem conversado comigo, tudo bem. Mas, como estavam me tratando não dava para sustentar.

PORTAL DOUGLAS CORDEIRO - Se fosse mais transparente poderia participar de uma composição?

WALTER REI DAS MOTOS - Na política tudo é possível, mas precisa ser conversado. Eu estava trabalhando com o grupo.

Nunca fui tão cortejado como agora. Vários partidos já me procuraram e eu não participo deste pleito. Quem sabe em 2022.

PORTAL DOUGLAS CORDEIRO - PSL é um dos partidos que mais vai receber recursos em 2020. O Senhor também disse que não compactuava com determinadas práticas no Diretório Municipal em relação a parte financeira?

WALTER REI DAS MOTOS - É verdade. O dinheiro quando vem para o partido é escolhido pela Direção Nacional de acordo com a viabilidade dos candidatos. Acho que vai cair no Piauí porque eles exigiam uma candidatura majoritária. Quando eu estava na Presidência do Diretório Municipal veio recurso. Mas, esse dinheiro é para compor nossos pré-candidatos. Eles estavam respirando de canudinho, não dinheiro para trabalhar. 

Disse que não iríamos mexer no dinheiro e isso aconteceu. Até quando eu estava dentro do partido não se tocou em dinheiro que veio para municipal. Primeiro precisávamos organizar o partido, não do jeito que estão fazendo depois que eu saí. Mas, informações que recebi é que estão usando de forma errônea. Nunca usei um real de recurso de partido. Pelo contrário, gastei para organizar o partido com recursos próprios. Desafio qualquer um que queira falar e provar que eu tirei um real do partido.

PORTAL DOUGLAS CORDEIRO - O senhor sai magoado?

WALTER REI DAS MOTOS - Esta talvez não seja a palavra. Constrangimento, sim, com os fatos que aconteceram. Todos deveriam trabalhar unidos e de forma transparente, mas agiram por trás.

PORTAL DOUGLAS CORDEIRO - A partir de agora, qual seu destino?

WALTER REI DAS MOTOS - Nunca fui tão cortejado como agora. Vários partidos já me procuraram e eu não participo deste pleito. Quem sabe em 2022.

PORTAL DOUGLAS CORDEIRO - Mas, o senhor vai apoiar alguém?

WALTER REI DAS MOTOS - Tem uma turma compor comigo saído do PSL e tem outros que estão chegando, como pessoal do Capitão Anderson. Todos querem compor conosco, além de outros que não posso citar agora. Conversei com outros partidos que querem que a gente se viabilize e concorra majoritariamente. Estou resistindo, mas política é assim. Estou tranquilo. Vou ajudar as pessoas que estavam me ajudando. Não vou deixa-las desamparadas. Aguardem um pouco mais que teremos novidades.

Fotos: Portal O DIA

© 2021 . Portal Douglas Cordeiro - Os Bastidores da Notícia. Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reeescrito ou redistribuido sem autorização.