MENU mobile

Novas unidades mistas e área integrada de segurança em Teresina

Estas são algumas das inovações no combate à criminalidade programadas pela Secretaria Estadual de Segurança Pública

Reportagem de Douglas Cordeiro e Wesslley Sales

Aplicativos intuitivos, inaugurações de unidades policiais na capital e interior, além de áreas integradas de segurança pública. 

Estas são algumas das inovações no combate à criminalidade programadas pela Secretaria Estadual de Segurança Pública. 

Para 2020, o Secretário Fábio Abreu acredita que uma reivindicação dos secretários de todo o país deve ser atendida pelo Governo Federal, a recriação do Ministério da Segurança Pública.

Por isso podemos dizer que temos redução significativa da violência desde 2015, a partir do momento que assumimos estamos reduzindo gradativamente.

PORTAL DOUGLAS CORDEIRO - Secretário, como anda o processo de recriação do Ministério da Segurança Pública?

FÁBIO ABREU - Essa reivindicação era o primeiro pleito do Conselho dos Secretários de Segurança Pública, a recriação do Ministério da Segurança Pública. No Governo Temer foi efetivado e estava sendo bem conduzido pelo Ministro Raul Jugmann. Estávamos no melhor período da segurança pública, inclusive com perspectivas. Infelizmente o Presidente Jair Bolsonaro nos surpreendeu com a extinção do Ministério, sendo fundido ao Ministério da Justiça. 

Solicitamos mais recentemente retornar o Ministério. O argumento que estão usando é errado. Dizer que é para enfraquecer o Ministro Sérgio Moro. Não tem nada haver. Tanto que na última solicitação que fizemos consta que o controle da Polícia Federal e Rodoviária Federal fique a cargo do Ministério da Justiça. O que queremos que fique a cargo do Ministério da Segurança Pública são apenas as Secretarias estaduais e sistema penitenciário. A Solicitação é técnica, por entendermos que a segurança pública terá avanço muito melhor.

PORTAL DOUGLAS CORDEIRO - O Senhor acha que é possível?

FÁBIO ABREU - Sem dúvida. Conversei em Brasília com o Deputado Federal Capitão Augusto, Presidente da Comissão de Segurança Pública e da Frente Parlamentar de Segurança Pública, e ele tem essa conversa bastante avançada.

PORTAL DOUGLAS CORDEIRO - A população questiona sobre homicídios na capital e interior e dizem que não tem segurança. Mas, os dados oficiais mostram o contrário. Por que isso?

FÁBIO ABREU - Quando eu digo que a Educação de Teresina está no topo de um patamar é porque tem dados que chegam a esta conclusão. Dados que são apenas da própria Secretaria Municipal e do Ministério da Educação. Na segurança pública temos vários outros dados que são cruzados. O principal são os dados do nosso IML e temos da Saúde (hospitais). Ou seja, são várias informações que cruzamos para chegar a um único dado para repassar aos órgãos. 

Vale lembrar que esses órgãos também coletam dados junto ao IML e Saúde, tanto que temos o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, temos o SINEP (do Ministério da Justiça). Várias fontes que são buscados os dados. Por isso podemos dizer que temos redução significativa desde 2015, a partir do momento que assumimos estamos reduzindo gradativamente. Agora, na medida que consigo reduzir esses índices é natural que a minha redução passe a ser a menor. Porque? Porque passamos a nos aproximar da realidade aceitável pelos órgãos de controle, como a ONU.

PORTAL DOUGLAS CORDEIRO - Então dizem que a redução foi mínima, mas é preciso observar isso ao longo deste tempo de coleta de dados?

FÁBIO ABREU - Exatamente. Se falar em dados reais vamos trabalhar do maior índice, que era em 2014, até o dia de hoje. Assim, chegamos a reduzir 45% a criminalidade no Estado. Quando falo em mês a mês ou ano a ano, então esta realidade tem que ser menor porque conseguimos manter nossa obrigação. A tendência é chegar em um patamar de estatística estabilizada e a partir daí trabalhar esta constância. Falo isso em relação aos crimes de maior violência, como homicídio. 

Agora, consideramos a violência real e a violência imaginária, onde as pessoas são induzidas pela multiplicação da informação ou de algo pontual repetida como se acontecesse todos os dias. Esse é um fenômeno que tem acontecido em redes sociais. Mas, não estou negando que tenhamos que melhorar no aspecto do combate ao roubo e furto. Assumimos essa dificuldade, mas também assumimos que dentro do nosso planejamento temos ações que efetivamente vão ter reflexos nesse reclame das pessoas.

Vamos inaugurar no interior as unidades de Gilbués, Vila Nova do Piauí, Domingos Mourão e Canto do Buriti. Estas são totalmente novas.

PORTAL DOUGLAS CORDEIRO - A propósito, a Secretária de Segurança fez nos últimos dias lançamentos de vários aplicativos. O que o senhor espera disso?

FÁBIO ABREU - O que precisamos, e peço colaboração das pessoas e da imprensa para reduzirmos roubos e furtos, procurem entender a dinâmica do Protege Celular. Se tivermos uma adesão maciça deste aplicativo não tenho dúvida de que vamos reduzir significativa os índices de roubo. Ele tem várias facetas, mas a principal é que a pessoa que teve celular roubado deve cadastrar o número neste aplicativo. A partir daí toda população do mundo saberá disso. Porque o IMEI do aparelho estará numa lista de restrição. 

O objetivo de quem rouba é vender. Se ele fizer isso e o comprador usar o aplicativo para pesquisar e ver que tem restrição ela não compra e ainda pode até chamar a polícia para fazer a prisão. Pode até fazer denúncia anônima. É fácil. Você digita no seu aparelho *#06#, vai aparecer a lista de IMEI, é isso que será cadastrado. Esses dados virão para dentro do Protege Celular sem a pessoa precisar digitar número por número. O usuário só precisa autorizar que o aplicativo transporta direto para o banco de dados.

PORTAL DOUGLAS CORDEIRO - 2020 começa como na infraestrutura para o interior do Estado?

FÁBIO ABREU - Graças a Deus e ao empenho da nossa equipe alguns pontos já foram realizados. Temos como meta a reestruturação física das nossas unidades. Vamos inaugura nosso complexo de delegacias especializadas (Idoso, Trânsito) ao lado do Laboratório do DNA, na Zona Norte de Teresina. Vamos inaugurar no interior as unidades de Gilbués, Vila Nova do Piauí, Domingos Mourão e Canto do Buriti. Estas são totalmente novas. Temos ainda projeto de reforma em todas as delegacias de Teresina, serão padronizadas. 

Em Gilbués, por exemplo, é unidade mista onde temos Policia Civil e Militar no mesmo espaço, uma área integrada de segurança pública. Em Teresina também vai acontecer, em sete áreas. Exemplo disso é a área do 8º DP com o Comando do 8º BPM e a 24º DP entra neste mesmo rol. O objetivo é podermos chamar os responsáveis por esta área integrada e mostrar os índices e, em caso de redução, serão recompensados. Vamos setorizar essas ações através das áreas. 

Lançamos também o PMPI Cidadão, ou seja, um serviço a mais para a população que precise acionar o 190. Temos várias alternativas. Por exemplo, os Comandantes de área dão o próprio número do celular, a viatura da região tem telefone embarcado e que a população pode ligar. Então, esta é mais uma ferramenta para que as pessoas possam se comunicar direto com a polícia através do PMPI Cidadão, onde ele se cadastra e quando necessário poderá rapidamente chamar uma viatura que terá a localização daquele celular georeferenciada para apoiar em qualquer emergência.

© 2021 . Portal Douglas Cordeiro - Os Bastidores da Notícia. Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reeescrito ou redistribuido sem autorização.