Governo lança auxílio de R$ 200 para famílias pobres no Piauí

O programa alcança todos os municípios, onde agentes de saúde estão fazendo a Busca Ativa para encontrar essas pessoas

12 de abril de 2021, às 17:30 | Cobertura Coronavírus

Alcançar famílias de baixa renda sem cobertura de nenhum programa social é a finalidade do Programa Cartão Pró-social lançado nesta segunda-feira pelo Governo do Estado, sob a coordenação da vice-governadora Regina Sousa e parceria entre Secretaria de Assistência Social e Cidadania (SASC) e Agência Piauí Fomento.

Por meio do cartão, serão pagos R$ 200 por mês a famílias que estão em pobreza extrema, com renda per capita de até R$ 89 e também para famílias em situação de pobreza com renda per capita acima de R$ 89 até 178.

O Programa Pró-social abrange as famílias invisíveis. 

“Estão cadastradas no sistema, mas não recebem nada. O governo estadual está fazendo cruzamento de dados com o Instituto Nacional de Previdência Social e buscas e estudo para que esse cartão seja destinado a quem realmente precisa e estejam vulneráveis. Não tem nada a ver com auxílio emergencial. É um cartão que tem como objetivo incluir as pessoas nos programas sociais federais a que têm direito. Enquanto elas não são incluídas, serão mantidas no Estado. A previsão inicial é de seis meses, mas pode ser prorrogado, caso o beneficiário não esteja incluído em programa federal. É um programa que terá continuidade, mas sempre com outras famílias”, acrescentou.

O programa alcança todo o Estado e junto com Prefeituras municipais, agentes de saúde está fazendo a Busca Ativa para encontrar essas pessoas que estão invisíveis sem nenhuma renda e cobertura social.

O Cartão Social é um dos instrumentos do Programa Pró-social que tem outras ações como poços, cisternas, agricultura familiar, microcrédito. No último dia 8 de março, foi instituído um crédito só para mulheres. 

“Há um trabalho muito importante realizado dentro do Pró-social”, afirmou Regina Sousa.

Por meio do Pró-social, comunidades já foram beneficiadas com poço e o Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Piauí vai entrar em ação com a formação e qualificação de moradores dessas comunidades para o plantio e cultivo da terra.

O Pró-social conta com o suporte da Agência Piauí Fomento que, segundo o presidente Luís Carlos Ewerton, faz a gestão financeira dos recursos, analisa os cartões pagos e para quem foram pagos os recursos e nos casos de não pagamento, os recursos retornam para o Estado. 

“Damos um suporte no credenciamento na instituição financeira e estamos honrados com o papel que a Piauí Fomento exerce dentro deste programa. A Piauí Fomento é uma instituição financeira reconhecida e pertence ao Piauí, dando suporte a todas as ações relacionados com o mercado financeiro”, afirma Luís Carlos Ewerton.

O gestor diz ainda que o Governo do Estado do Piauí aportou R$ 50 milhões na agência para o financiamento de diversas propostas de empreendedores formal e informal.

Dentro do Programa Pró-social, a Secretaria de Assistência Social e Cidadania (SASC) tem papel fundamental. Ela possui uma plataforma tecnológica com banco de dados social do Estado, coma relação de informações das famílias mais vulneráveis. 

“Estamos sempre atualizando as informações por meio do Busca Ativa, com ajuda dos municípios e do CRAS. O Cartão Social vai ajudar as famílias invisíveis até elas serem inseridas em outros programas ou que consigam se inserir no mercado de trabalho”, declarou o secretário Zé Santana.

Segundo Santana, a SASC almeja a inserção das famílias no mercado de trabalho e trabalha na qualificação profissional das pessoas. 

“Temos projetos do Caminhão da Cidadania, com a realização de cursos e a meta é criar oportunidade para estas pessoas que, quando qualificadas, possam entrar no mercado de trabalho ou montar seu próprio negócio com ajuda da Piauí Fomento”, finalizou.

Assinatura do convênio


Coluna Passando a Régua

REDES SOCIAIS