Polícia prende vários acusados de fraude em licitações no Piauí

Os investigadores descobriram que as licitações eram sempre direcionadas com o objetivo de contratar as duas empresas

17 de dezembro de 2020, às 11:46 | Ravi Marques

Na manhã desta quinta-feira (17/12), a Polícia Civil do Piauí, através da Delegacia de Combate à Corrupção (DECCOR), e o Ministério Público do Piauí, através do GAECO e a Promotoria de Justiça de Cocal, deflagraram conjuntamente a 2° Fase da Operação Dom Casmurro. 

Nesta fase, foram cumpridos dez mandados de prisão preventiva expedidos contra empresários, servidores públicos e demais integrantes do grupo criminoso que dirigia empresas. A operação aconteceu em Teresina.

No trabalho concluído pela Polícia Civil ficou comprovado que as empresas e as pessoas presas formavam um núcleo empresarial que atuava há mais de 10 anos no Piauí e em outros estados fraudando licitações e concursos públicos. Os investigadores descobriram que as licitações eram sempre direcionadas com o objetivo de contratar as duas empresas, que estavam em nome de pessoas interpostas (laranjas), mas eram operadas pelos líderes do grupo, os finais beneficiários dos recursos.

Foram cumpridos ainda mandados de sequestro contra o patrimônio dos investigados, todos já denunciados pelo Ministério Público acusados dos crimes de lavagem de dinheiro, organização criminosa e fraude à licitações, em ação penal que tramita na Comarca de Cocal.

Oito pessoas foram presas, entre elas, um servidor da Assembleia Legislativa, uma professora do IFPI (Instituto Federal do Piauí e uma empresária).

Participaram do trabalho equipes policiais civis da DEPRE, do GRECO, POLINTER e da Delegacia de Nazária.

MP-PI participou através do GAECO / FOTO: Portal GP1